logo
Century21 Portugal


A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação foi 4,593% em Dezembro, o valor mais elevado desde Março de 2009, mais 6,9 pontos base (p.b.) face a Novembro (4,524%), avança hoje o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística – INE, pelo sétimo mês consecutivo, os aumentos da taxa de juro implícita têm vindo a ser progressivamente menos intensos. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro diminuiu pelo segundo mês consecutivo, fixando-se em 4,342%, 2,4 p.b. inferior à observada no mês anterior. 

Para o destino de financiamento Aquisição de Habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos subiu para 4,564% (+6,7 p.b. face a Novembro). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro registou a segunda redução consecutiva, diminuindo 2,7 p.b. face ao mês anterior, fixando-se em 4,326%.

Considerando a totalidade dos contratos, o valor médio da prestação mensal fixou-se em 400 euros em Dezembro, mais 4 euros que no mês anterior e mais 101 euros que em dezembro de 2022 (aumento de 33,8%). Pelo terceiro mês consecutivo, registou-se uma redução da taxa de variação homóloga do valor médio da prestação (37,5%) face à observada no mês anterior. Deste valor, 244 euros (61%) correspondem a pagamento de juros e 156 euros (39%) a capital amortizado (ver gráfico 2) – em Dezembro de 2022, a componente de juros representava apenas 33% do valor médio da prestação (299 euros). 

Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o valor médio da prestação desceu quatro euros face ao mês anterior, para 651 euros em Dezembro (aumento de 21,5% face ao mesmo mês do ano anterior).

Em Dezembro, o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos subiu 159 euros face ao mês anterior, fixando-se em 64 597 euros. Para os contratos celebrados nos últimos 3 meses, o montante médio em dívida foi 125 928 euros, menos 187 euros que em Novembro.

Resultados anuais 

Para o conjunto do ano de 2023, a taxa de juro média anual implícita nos contratos de crédito à habitação fixouse em 3,612% (1,084% em 2022). No destino de financiamento Aquisição de Habitação, a taxa de juro média subiu de 1,091% em 2022 para 3,589% em 2023. 

O capital médio anual em dívida para o Total do crédito e para o destino de financiamento Aquisição de Habitação, passou de 60 142 euros e 67 633 euros em 2022, respectivamente, para 63 459 euros e 70 962 euros em 2023. 

A prestação média anual vencida para o Total do crédito à habitação subiu 94 euros em 2023, para 362 euros. No destino de financiamento Aquisição de Habitação verificou-se uma subida de 104 euros entre 2022 e 2023, fixando-se em 396 euros.

joaobandarra@mixandblend.net'

Deixe um comentário

*