logo
Century21 Portugal


Portugal era o quarto país da União Europeia (UE) com maior consumo de electricidade renovável em 2022, com uma quota de 61,0%, acima da média dos 27 (41,2%), divulga o Eurostat.

Segundo os dados fornecidos pelo serviço estatístico europeu a Suécia (83,0%) foi o Estado-membro onde, em 2022, a maioria do consumo de electricidade proveio de fontes renováveis, seguindo-se a Dinamarca (77,2%), a Áustria (74,7%) e Portugal (61,0%).

Na outra ponta da tabela, com menor quota de fontes renováveis, está Malta (10,1%), a Hungria (15,3%), a República Checa (15,5%) e o Luxemburgo (15,9%).

Na UE, a proporção de fontes de energia renovável no consumo de electricidade avançou 3,4 pontos percentuais de 2021 (37,8%) para 2022 (41,2%).

Na média dos 27 Estados-membros, as principais fontes para a electricidade foram as eólicas (37,5%) e hidráulicas (29,9%), que representaram dois terços do total, seguindo-se a solar (18,2%), os biocombustíveis sólidos (6,9%) e outras fontes renováveis (7,5%).

A energia solar, destaca o Eurostat, é a fonte que tem apresentado um crescimento mais rápido, sendo que em 2008 apenas pesava 1,0% no total consumido.

No que respeita ao consumo total dos três sectores (electricidade, climatização e transportes) na UE, a quota de fontes renováveis no consumo energético bruto subiu de 21,9%, em 2021, para 23%, sendo a meta de fontes renováveis de 42,5% até 2030.

Considerando o peso das fontes renováveis nos três sectores, Portugal está no sexto lugar, com 34,7%, principalmente biocombustíveis sólidos, vento, água e bombas de calor.

A tabela é liderada pela Suécia (66,0%), seguindo-se a Finlândia (47,9%) e a Letónia (43,3%) e com a Irlanda (13,1%), Malta (13,3%) e Bélgica (13,8%) nos últimos lugares.

joaobandarra@mixandblend.net'

Deixe um comentário

*