logo
Century21 Portugal


Há bastante tempo que as actividades de mediação imobiliária- e os consultores imobiliários- integram o grupo de risco dos sectores que podem ser mais ameaçados pelos avanços tecnológicos e pela tendência de desintermediação. Contudo, o sector tem-se mostrado resiliente e com capacidade de incorporar a transformação digital. Igualmente, o papel do agente imobiliário tem vindo a ganhar relevância e o número de famílias que compram, vendem e arrendam a casa sozinhos tem vindo a diminuir, especialmente em momentos de incerteza, como o que vivemos.

Estamos a viver um momento sem precedentes na história recente, e como continuamos imersos nesta pandemia, ainda é muito cedo para determinar o seu impacto total, nas nossas vidas e na mediação imobiliária. Porém, sabemos já que a indústria não funcionará da mesma forma que funcionava antes da COVID-19 e a vida profissional de um agente imobiliário não permanecerá igual à que tinha antes da pandemia.

Há uma opção muito clara a fazer, porque neste novo normal – que está redefinir as linhas de orientação do futuro-os agentes imobiliários podem-se tornar obsoletos, ou escolherem a adopção de novos modelos de operação, para acompanharem a evolução do mercado.

É inegável que a tecnologia revolucionou o setor imobiliário e proporciona hoje mais oportunidades do que ameaças para a mediação imobiliária. Este momento que estamos a viver obrigou todos os stakeholders do sector imobiliário, e consumidores, a adoptarem e recorrerem às novas tecnologias e à digitalização para procurar e selecionar uma casa, para manter a relação com o consultor imobiliário, bem como para tratar todo o processo de gestão da transação e tomada de posse de um imóvel.

A digitalização e a novas tecnologias oferecem muitas oportunidades e as tendências económicas continuam a mudar constantemente, obrigando os intervenientes do setor imobiliário a serem flexíveis e capazes de se adaptarem a uma nova realidade. Esta adaptabilidade é decisiva para a evolução e relevância da profissão de todos os agentes imobiliários. 

O seu papel no processo precisa necessariamente de evoluir, porque a tecnologia mudará radicalmente o mercado e as nossas vidas, visando um objetivo claro: simplificá-la. Nesta nova realidade, o factor humano será a grande vantagem competitiva. O consumidor mudou e o mercado também. O consultor imobiliário que trabalha sozinho, sem o apoio de uma equipa profissional, que se limita, apenas, a mostrar casas e a fazer publicidade em portais imobiliários já não tem lugar no mercado actual. O cliente é cada vez mais exigente e existe tecnologia para substituir este tipo de procedimentos. Actualmente, o cliente espera ser aconselhado, informado, tranquilizado e assessorado, a qualquer momento.

Se houver relação, tudo é possível. Este é o princípio básico, a orientação para o cliente, usando a tecnologia como um potenciador da comunicação com o consumidor e com o mercado.

O número de proprietários que trabalham com um consultor imobiliário encontra-se em máximos históricos. O consultor imobiliário que investe na sua formação profissional para estar sempre atualizado, que tem capacidade para apresentar um plano de marketing assertivo para o imóvel, que constrói relacionamentos fortes com o seu círculo de influência pessoal e com a comunidade local, sempre será valorizado e torna-se o elemento fundamental da cadeia de valor do sector imobiliário.

Os consumidores contam sempre com as relações pessoais e as recomendações para selecionar o seu consultor imobiliário. Na verdade, os estudos mostram igualmente que o consumidor está confortável com a comissão paga a um consultor imobiliário de confiança que lhe acrescenta valor.

Os avanços na tecnologia irão melhorar a capacidade dos consultores imobiliários para apoiar os clientes a interpretar a informação e estatísticas disponíveis, e a completar, mais rapidamente, a transação imobiliária. As soluções tecnológicas que alavancam o talento e o factor humano são a forma mais adequada de criar valor, por oposição às tentativas de eliminar completamente o consultor imobiliário.

No sector imobiliário, bem como noutras áreas de actividade, a tecnologia continuará a facultar empowerment ao consultor imobiliário, e proporcionará aos consumidores experiências mais ricas e mais significativas. Os consultores imobiliários poderão desempenhar as suas funções de forma mais eficiente, completa e simplificada, e serão mais valorizados pelo consumidor.

RICARDO SOUSA, CEO DA CENTURY 21 Portugal e Espanha

Linkedin     Instagram   Facebook

► SIGA-NOS EM:

Facebook: https://www.facebook.com/C21Portugal

Twitter: https://twitter.com/C21Portugal

Youtube: https://www.youtube.com/century21portugal

► VENDA COM A CENTURY 21 Portugal:

Venda aqui: http://vender.century21.pt

► TRABALHE NA CENTURY 21 Portugal:

Seja um consultor imobiliário: http://recrutamento.century21.pt

► FAÇA PARTE DA CENTURY 21 Portugal:

Seja um franchisado: http://franchising.century21.pt

► DESCARREGUE A NOSSA APLICAÇÃO MOBILE EM:

https://www.century21app.pt
Fundador de la #franquicia #inmobiliaria @C21Spain y @C21Portugal Entrepreneur who was born in Santarém in 1979 and who has always loved everything that has to do with engines, cars and competition. He has been a federated karting and motorsport member since the age of 15. It was in motor sports that he had his first experience in management and it was here that he began to feel a fascination for entrepreneurship: when only 17 he faced the challenge of managing his racing team and undertook responsibility for all the steps necessary to obtain sponsorship, mange the budget, set budget priorities and hire support resources. He was never a champion in this sport, but several he won domestic and foreign prizes, and participated in international competitions a number of times. However, he always had the ambition to have his own company. This was following a career in the automobile, new technologies and real estate sectors. As a Realtor he identified the opportunity to represent the prestigious brand Century 21 in Portugal. That was at the end of 2004 and so 21 Century Portugal was born. Recognition of the work carried out at a time when the economy was undergoing a corrective phase was the invitation for the Portuguese team to head the entry into the Spanish market and take on the same role in Spain in 2010. The year of 2010 was also when he was elected Vice-President of the Portuguese Franchising Association. His desire to start his own project and be able to contribute to the professionalization of the real estate sector in the Iberian market provide the personal motivation to lead this project.

Deixe um comentário

*

captcha *

passar-da-transao-para-a-relao-blog-century21