logo
Century21 Portugal


O valor mediano de avaliação para o ano 2021 fixou-se em 1 231 euros/m2, o que se traduziu num acréscimo de 9,0% relativamente ao ano anterior, revela o INE – Instituto Nacional de Estatística.

De acordo com o Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação, observou-se um crescimento do valor de avaliação em todas as regiões NUTS II, tendo a Área Metropolitana de Lisboa apresentado a variação mais intensa (8,7%) e a Região Autónoma doa Açores o menor aumento (3,9%)1 .

Por natureza de alojamentos, no ano de 2021, o valor mediano de avaliação bancária aumentou 10,0% nos apartamentos e 5,9% nas moradias, para, respectivamente, 1 359 euros/m2 e de 1 005 euros/m2 (1 235 euros/m2 e 949 euros/m2, em 2020, pela mesma ordem).

Destacam-se os aumentos mais intensos nos valores de avaliação bancária no 1º quartil na Área Metropolitana de Lisboa (10,7%) e no 3º quartil no Norte (8,8%) e as menores variações no 1º quartil no Alentejo e Centro (3,7% e 3,8%, respetivamente). Observa-se alguma heterogeneidade na dinâmica de variação do valor de avaliação bancária, não apenas entre regiões, mas também entre os diferentes quartis. Na Área Metropolitana de Lisboa existe um aumento do valor de avaliação para os apartamentos mais intenso no 1º quartil (10,8%) que no 3º quartil (6,2%), fundamentalmente reflectindo uma maior valorização nos escalões de mais baixo valor.

Em Dezembro o aumento foi de 1% face ao mês anterior

O valor mediano de avaliação bancária foi 1 285 euros em Dezembro, mais 13 euros que o observado no mês precedente, tendo aumentado 1,0% face a Novembro (1 272 euros/m2).

O maior aumento face ao mês anterior registou-se na Região Autónoma dos Açores (2,6%), tendo a Região Autónoma da Madeira apresentadoa maior descida (-1,2%). Em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor mediano das avaliações cresceu 11,2%, registando-se a variação mais intensa no Algarve (12,9%) e a menor na Região Autónoma dos Açores (3,4%).

No mês em análise, o valor mediano de avaliação bancária de apartamentos foi 1 419 euros/m2, tendo aumentado 12,1% relativamente a Dezembro de 2020. O valor mais elevado foi observado no Algarve (1 720 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (911 euros/m2). O Algarve apresentou o crescimento homólogo mais expressivo (12,8%), tendo o Alentejo apresentado o menor(5,4%). Comparativamente com o mês anterior, o valor de avaliação subiu 1,3%, tendo a Região Autónoma dos Açores registado a maior subida (5,9%). A única descida verificou-se na Região Autónoma da Madeira (-0,8%).

O valor mediano da avaliação para apartamentos T2 subiu 25 euros, para 1 447 euros/m2, tendo os T3 subido 15 euros, para 1 263 euros/m2. No seu conjunto, estas tipologias representaram 80,8% das avaliações de apartamentos realizadas no período em análise.

O INE avança ainda que o valor mediano da avaliação bancária das moradias foi de 1 030 euros/m2 em Dezembro, o que representa um acréscimo de 7,6% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1 753 euros/m2) e na Área Metropolitana de Lisboa (1 722 euros/m2), tendo o Alentejo registado o valor mais baixo (829 euros/m2). O Algarve apresentou o maior crescimento homólogo (13,5%) e o menor ocorreu na Região Autónoma dos Açores (2,5%). Comparativamente com o mês anterior, o valor de avaliação diminuiu 0,1%. A Área Metropolitana de Lisboa apresentou o aumento mais acentuado (1,7%), tendo o Alentejo apresentado a redução mais intensa (-1,3%).

O valor mediano das moradias T2 desceu 3 euros, para 973 euros/m2, tendo as T3 descido 2 euros, para 1 017 euros/m2 e as T4 aumentado 7 euros, para 1 099 euros/m2. No seu conjunto, estas tipologias representaram 89,0% das avaliações de moradias realizadas no período em análise.

De acordo com o Índice do valor mediano de avaliação bancária, no último mês de 2021, o Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa e o Alentejo Litoral apresentaram valores de avaliação superiores à mediana do país (35%, 32% e 3%, respetivamente). Beiras e Serra da Estrela foi a região que apresentou o valor mais baixo em relação à mediana do país (-48%).

O Instituto Nacional de Estatística indica também que para o apuramento do valor mediano de avaliação bancária de Dezembro, foram consideradas 30 312 avaliações, mais 14,8% que no mesmo período do ano anterior. Destas, 19 421 foram apartamentos e 10 891 moradias. Em comparação com o período anterior, realizaram-se mais 700 avaliações bancárias, o que corresponde a um aumentode 2,4%.

joaobandarra@mixandblend.net'

Deixe um comentário

*

captcha *

casas-valorizaram-mais-9-em-2021-blog-century21