logo
Century21 Portugal


Em Dezembro último, o valor médio de avaliação bancária das habitações aumentou para 1.220 euros por metro quadrado (m2), mais cinco euros do que em Novembro e um novo máximo.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística – INE, este valor representa o 21.º mês de subidas consecutivas, e um novo máximo histórico desde 2008 (início da série).

Comparando com Novembro de 2018, o valor médio de avaliação dos apartamentos em Dezembro subiu sete euros, para 1.284 euros por m2, enquanto nas moradias aumentou quatro euros, para 1.119 euros/m2.

Nos apartamentos, o valor mais elevado foi observado na região do Algarve (1.593 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (1.014 euros/m2).

Já os Açores tiveram a maior subida (2,7%) e o Centro a maior descida (-0,9%), mas face a Dezembro de 2017 os Açores apresentaram o maior crescimento (10,8%).

Relativamente ao  valor médio da avaliação para apartamentos, para os T2 foi 1.294 euros/m2, mais oito euros do que em Novembro, enquanto para os T3 houve uma subida de três euros, para 1.211 euros/m2, representando estas tipologias no seu conjunto 82,8% das avaliações de apartamentos realizadas em Dezembro.

Nas moradias, a avaliação bancária foi de 1.119 euros/m2, registando-se os valores mais elevados no Algarve (1.565 euros/m2) e Área Metropolitana de Lisboa (1.554 euros/m2) e o mais baixo no Centro (969 euros/m2).

O INE indica ainda que em comparação com Novembro, o Algarve apresentou o maior aumento (2,1%) na avaliação bancária das moradias, enquanto no Norte e na Área Metropolitana de Lisboa se registaram diminuições de 0,4%.

Face ao mês anterior, o valor da tipologia T3 das moradias subiu nove euros, para 1.103 euros/m2, e o T4 desceu oito euros, para 1.155 euros/m2, representando estas tipologias 72% das avaliações de moradias de Dezembro.

Em relação a Dezembro de 2017, o maior aumento no valor das moradias observou-se na Área Metropolitana de Lisboa (11,3%) e o menor no Alentejo (2,0%).

A nível regional, a maior subida para o conjunto da habitação registou-se na Região Autónoma da Madeira (1,4%) e a única excepção a estes aumentos verificou-se no Centro, com uma descida de 0,2%.

O INE revela também que comparativamente a Dezembro de 2017, o valor médio das avaliações para o conjunto da habitação aumentou 6,1% (70 euros), tendo o valor de apartamentos e de moradias subido 7% e 4,9%, respectivamente.

A taxa de variação homóloga mais elevada para o conjunto das avaliações verificou-se no Algarve (9,2%) e a menor na Região Autónoma da Madeira (2,8%).

joaobandarra@mixandblend.net'

Deixe um comentário

*

captcha *

desde-2008-que-as-casas-no-valiam-tanto-blog-century21